Na vida dos jovens ocorrem inúmeras transformações em todas as áreas do seu desenvolvimento – físicas, emocionais, cognitivas e sociais. Para além destes desafios, um dos momentos chave no percurso dos jovens ocorre no 9º ano de escolaridade, quando lhes é pedido que optem por uma área para continuar os seus estudos (Ciências e Tecnologias, Ciências Sócioeconómicas, Línguas e Humanidade, Artes Visuais) ou via profissionalizante de dupla certificação.

Ao longo de todo o percurso académico e profissional, outros momentos podem exigir novas decisões como por exemplo, após a conclusão do 12º ano – ao escolher o seu percurso académico e/ou profissional ou até já na vida adulta em que podem surgir novas ideias ou dúvidas sobre a profissão que exercem ou sobre o seu papel na vida profissional.

O Psicólogo poderá intervir em qualquer destes momentos, adequando ferramentas e estratégias. No entanto, relevamos aqui a importância da transição do 9º ano de escolaridade em que os jovens são chamados à sua primeira decisão vocacional.

Este período de escolha é muitas vezes marcado por ansiedade, medo, dúvidas e incertezas, quer relativamente à oferta formativa e profissional disponível (“que profissões posso exercer com o curso X?”), quer em relação às próprias aptidões e gostos do jovem (“será que vou gostar do curso Y?”).

Durante o processo de Orientação Vocacional o psicólogo ajuda os jovens a lidar melhor com todos os sentimentos inerentes a este processo, promovendo o auto-conhecimento e a reflexão acerca do mundo académico e profissional, ajudando-os a que se sintam mais seguros e confiantes na sua escolha e mais amparados na exploração que vão fazendo até à tomada de decisão.

 

Orientação Vocacional – Um trabalho conjunto

 

A Orientação Vocacional é o processo através do qual se ajuda o jovem a envolver-se na situação em que se encontra, enfrentando-a, para que a possa compreender e tomar a sua decisão de forma consciente. 

Bohoslavsky, 1998

O papel do psicólogo é fundamental neste processo, na medida em que possui ferramentas especializadas para a exploração e reflexão sobre as inúmeras opções com que o jovem se depara, e sobre si mesmo, tendo por base o seu funcionamento e as suas aprendizagens.

Através de um processo de Orientação Vocacional pretende-se ajudar os jovens a envolverem-se no seu processo de escolha e tomarem decisões individuais e responsáveis, permitindo-lhes escolher o caminho mais apropriado às suas características e sonhos. Ao longo deste processo o jovem analisa, em conjunto com o psicólogo, todos os fatores inerentes ao seu processo de decisão, sendo estes socio-económicos, sociais, cognitivos e outros.

Durante todo o processo são tidos em consideração não só os objetivos e escolhas do jovem, mas também as expectativas e ideias do seu agregado familiar (que constitui uma peça fundamental na construção da identidade do jovem).

 

Orientação Vocacional – Que objetivos?

 

A Orientação Vocacional tem como principal objetivo ajudar o jovem na decisão consciente do percurso académico mobilizando-o para uma escolha académica e profissional autónoma e consciente. Desta forma, pretende-se colaborar na superação de possíveis conflitos psíquicos presentes no processo de escolha e ainda fazer com o jovem se envolva e tenha um papel ativo e responsável no seu percurso, tendo em conta as suas características.

Através da Orientação Vocacional pretende-se ajudar o jovem a desenvolver e construir a sua Identidade Vocacional, promovendo o autoconhecimento e a reflexão do jovem acerca de si próprio e do mundo académico e profissional.

 

Orientação Vocacional – A decisão

 

Quando os jovens tomam decisões de forma mais consciente, adequada e de acordo com as suas aptidões e interesses, sentem-se mais realizados no seu percurso académico e profissional, permitindo assim uma maior estabilidade no caminho escolhido e um maior sucesso educativo.

Desta forma serão jovens com um maior sentimento de realização pessoal e que irão contribuir de forma mais produtiva e ativa para o seu futuro, desempenhando um papel fundamental na sociedade que integram.

Dra. Maria João Santos – Psicóloga Educacional
Dra. Maria Margarida Furtado – Psicóloga Educacional